quinta-feira, 28 de junho de 2007

Apócrifo - Mario Quintana

[...continuando o tema "apócrifos" (o primeiro foi sobre Gabriel García Márquez), hoje trago-lhes uma crônica atribuída a Mario Quintana... muito bem se sabe, que sua especialidade era poemas: "Não possuo o dom discursivo e expositivo, vindo daí a dificuldade que sempre tive de escrever em prosa. A prosa não tem margens, nunca se sabe quando, como e onde parar. O poema, não; descreve uma parábola traçada pelo próprio impulso (ritmo)."... palavras do próprio Mario Quintana...]


"Promessas Matrimoniais"


Em maio de 98, escrevi um texto em que afirmava que achava bonito o ritual do casamento na igreja,com seus vestidos brancos e tapetes vermelhos, mas que a única coisa que me desagradava era o sermão do padre:


"Promete ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?"


Acho simplista e um pouco fora da realidade. Dou aqui novas sugestões de sermões:

Promete não deixar a paixão fazer de você uma pessoa controladora, e sim respeitar a individualidade do seu amado, lembrando sempre que ele não pertence a você e que está ao seu lado por livre e espontânea vontade?
Promete saber ser amiga e ser amante, sabendo exatamente quando devem entrar em cena uma e outra, sem que isso lhe transforme numa pessoa de dupla identidade ou numa pessoa menos romântica?
Promete fazer da passagem dos anos uma via de amadurecimento e não uma via de cobranças por sonhos idealizados que não chegaram a se concretizar?
Promete sentir prazer de estar com a pessoa que você escolheu e ser feliz ao lado dela pelo simples fato de ela ser a pessoa que melhor conhece você e portanto a mais bem preparada para lhe ajudar, assim como você a ela?
Promete se deixar conhecer?
Promete que seguirá sendo uma pessoa gentil, carinhosa e educada, que não usará a rotina como desculpa para sua falta de humor?
Promete que fará sexo sem pudores, que fará filhos por amor e por vontade, e não porque é o que esperam de você, e que os educará para serem independentes e bem informados sobre a realidade que os aguarda?
Promete que não falará mal da pessoa com quem casou só para arrancar risadas dos outros?
Promete que a palavra liberdade seguirá tendo a mesma importância que sempre teve na sua vida, que você saberá responsabilizar-se por si mesmo sem ficar escravizado pelo outro e que saberá lidar com sua própria solidão, que casamento algum elimina?
Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?
Sendo assim, declaro-os muito mais que marido e mulher: declara-os maduros.



Deixando de lado a questão do "estilo", outro fato que definitivamente comprova que o texto não pode ser de Quintana é a data em que foi criado. Começa referindo-se a algo que foi escrito pelo(a) autor(a) em 1998, ou seja: tem de ser posterior a 1998. Mario Quintana, no entanto, morreu em 1994, não poderia, portanto, tê-lo escrito. A crônica, na verdade é de autoria da Martha Medeiros. Ela mesma já fez menção a essas confusões mais de uma vez, em "Clonagem de Textos" e "Crônica Sobre a Desinformação". Uma curiosidade: assim como Mario Quintana, Martha Medeiros também é gaúcha, de Porto Alegre, onde Quintana viveu por quase toda a sua vida!

13 comentários:

Erika disse...

Este texto é típico, né?
Quem gosta e lê Quintana e Martha, vê claramente o estilo da escrita.

Eu amo este texto cum força.

Beijos querido.

Sheila disse...

Cheguei aqui meio por acaso, e gostei demais do que encontrei..Parabéns pela seleção de textos e poemas tão lindos, e pelas citações perfeitas.
Um lindo dia prá vc.

Girassol disse...

Em primeiro lugar quero agradecer as palavras doces deixadas no Girassol. =)

De seguida, referir mais uma vez o quão importante acho esta ideia, quer pela utilidade pública, quer pela escolha perfeita dos textos.

A «instituição casamento» está cada vez mais falida, e é provável que isso se deva à forma como este passou a ser encarado.
Um mero contrato, diz a maioria!
Esta abordagem ao matrimónio deveria ser lida por todos os casais quando decidem dar esse passo, talvez muitas coisas passassem a correr melhor.

=)

Beijinhos

Edna Federico disse...

Entrando agora rapidinho e depois volto para comentar.
Indiquei você a um prêmio, passa lá

Jac C. disse...

Tudo bem... a parte profissional é contigo e não questiono.
Você falou... tá falado! Hehehe.
Mas amo esse texto!
Bjs

Edna Federico disse...

Acho bem importante esses seus esclarecimentos.
Beijo

Jac C. disse...

Não deu pra evitar... ainda bem que vc já fez sua tarefa...rs.
Parabéns!!!

Erika disse...

rsrsrs.. vc é um querido mesmo, né?

Choro não é só tristeza não, viu, lindezo.. rsrs
Choro mesmo, porque me emociono, um amigo diz que eu me derramo pelos olhos.. rsrs

Ameiiii o moçatodamulher rsrs

Beijoooo dóru vc

hashmalim disse...

Gostei da informação da desinformação...

Sobre contrato de casamento mesmo estando escrito tudo isso,não é certeza que funcione porque tudo depende da personalidade de cada pessoa...se um dos dois tem personalidade facilmente influenciavel atravez das manipulações absorvidas de outrem,tenha certeza a vida dos dois se torna inferno...

O ideal de parceiro é aquele que conhecemos em situação mas que drastica...
ainda assim é dificil encontrar ajustes...pelo fato de um dos dois não deixar o outro em humilhante situação...Sabe aquela situação que um faz tudo pra derrotar o outro somente pra que o outro se sinta "gratificado" de ter sido ajudado etc...

Viver a dois é bom cada um na sua residencia...

Jonice disse...

O texto da Martha Medeiros é perfeito! Tomara muitos quisessem que o sermão fosse mesmo assim. Porque, afinal de contas, não é exatamente isso que todo mundo quer?
Adoro esta lente de aumento que você coloca nas autorias atribuídas a outros. Parabéns!!
E valeu o link, Marco.

Mais beijinhos

hashmalim disse...

"Promete que será tão você mesmo quanto era minutos antes de entrar na igreja?"

Aqui nessa frase esta embutido quase todos os problemas de um casamento.

Sabe, existe pessoas com temperamento, exatamente igual como consta nessa lista modificada... mas não adianta ser tudo isso "so",porque tem que ser igual dos dois lados...

Sempre um dos dois estraga tudo e o que mais me chama atenção na vida de um casal é esse lado de vingança de um tentar exterminar o outro...

Os homens reclamam que as mulheres são isso e aquilo as mulheres fazem o mesmo...

Quando um homem encontra uma mulher que foge das regras e que não muda, eles, os homens que tanto esperam isso, eles, ficam cego do que se passa e mudam e acaba romantismo e acaba o encanto...

Prometer se deixar conhecer?

Existe homem que perde mulher vice versa, extamente porque nenhum dos dois, se dão pra esse detalhe, tão importante que é se deixar conhecer sendo ai a base mesmo de um relacionamento duravel...

A solidão existe em casmentos pelo fato mesmo de nenhum dos dois se deixarem conhecer...

Casamento assunto infinito da pra fazer um livro.

hashmalim disse...

A solidão existe em casmentos pelo fato mesmo de nenhum dos dois NÃO se deixarem OPORTUNIDADES para se conhecerem...

hashmalim disse...

Não se deve esquecer que a felicidade em qualquer "união" pra ser mantida é nescessario procurar tudo que possa ajudar um dos dos dois em caso de qualquer dificuldade e nesse caso repito casal maduro deve guardar sempre pra si um mundo paralelo visitar outros mundos pode dar meios de encontrar ideias que mantenha o barco navegando em aguas limpas...visite mundos paralelos sempre.

ARIEL

Abrs