quinta-feira, 2 de agosto de 2007




Não sejas o de hoje.
Não suspires por ontens...
não queiras ser o de amanhã.
Faze-te sem limites no tempo.
Vê a tua vida em todas as origens.
Em todas as existências.
Em todas as mortes.
E sabes que serás assim para sempre.
Não queiras marcar a tua passagem.

Ela prossegue: É a passagem que se continua.
É a tua eternidade.
És tu.

Cântico II, Cecília Meireles

9 comentários:

lyS disse...

Adoro esse poema de Cecília Meireles.

Juℓi Ribeiro disse...

Querido amigo Marco:

Maravilhosos versos de Cecília!
Maravilhoso o teu bom gosto!

Passe lá no meu blog,
deixei um carinho
para você...
Beijo.*Juli*

Jonice disse...

Belo e sábio. Um gole maravilhoso que de novo bebo nesta fonte.
Beijinho, Marco.

Erika disse...

Love of my lifeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee...

Come backkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... hurry backkkkkkkkkkkkk....

ai ai.. Cecília...mata-me.

Beijos lindezo maravilindo querido.. rsrs

Jac C. disse...

Através de vc me aproximo de Cecília.
Que bom!

foryou disse...

Bem bonito! Cá por mim basta-me viver o resto logo se vê se marca ou não.



Beijo e obrigada :)

Nanny disse...

Muito bonito!

Voltarei!

Um beijo

o Cronista disse...

Otimos versos, boa escolha.
Esperemos que nossa passagem continue, sempre!
abraços

lurainbow disse...

Saudade , uma dor no peito um vazio na alma e uma vontade imposivel para mudar tudo para estar perto de quem tanto amámos ...
Lurainbow com saudades ...
Lembrar e homenagear uma grande AMIGA!
Passa por lá , comenta ou reza , tanto faz ...