sábado, 23 de fevereiro de 2008



Calma

O coração aperta o peito
Aflito parece gritar
Calma é o que eu rogo
Se aquiete e vou serenar

Onde está o manual da mente?
Quem detém de suas instruções?
Procuro nas minhas gavetas bagunçadas
Acho que perdi o controle das emoções!
[ ... ]
Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara...
[ ... ]
Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...
[ ... ]
Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma?
Eu sei, a vida não pára...


(* de minha autoria com citação de “Paciência” composta por Lenine e Dudu Falcão)

16 comentários:

Jacinta disse...

Venho lá do avesso e encontro, aqui, essa preciosidade.
E o meu tempo anda em descompasso com a calma.
Um abraço
Jacinta

Eärwen Tulcakelumë disse...

Que a calma, a paciência estejam sempre contigo, que esse coração que trazes nas mãos seja sempre forte e de luz para guiar-te por trechos seguros.
As minhas asas se tornam braços e te apertam em um abraço cheio de calma, luz e carinho.

Pérolas incandescentes de carinho amigo.

Eärwen

Luís Galego disse...

A vida é tão rara
Tão rara...

raros tambem estes versos.

Marcela disse...

Oi Marco!

Muito, muito obrigada pelas palavras no blog! Fico muito feliz que tenha gostado!
Eu realmente tenho passado aqui diversas vezes, pq me encantei com a fonte =)
O post de hoje ficou maravilhoso. Quando eu crescer, quero escreer como vc ;)
Bom restinho de domingo... e obrigada pela visita!

Beijo!

Paulo Roberto disse...

Ultimamente tenho exercitado muito essa calma, mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma,
E a vida parece que vai para, onde esta a calma?
Não sei, só sei que ela aperece do nada e me acalma.

Lindo Post.
Abraço!

R Lima disse...

O tempo, senhor infinito, evoca luz sobre nossos dias e enquanto caminha a passos largos nos ensina a fazer uso do tão somente exercício...

a sábia paciência.

Valeu pelas palavras ao AveSSo.. nossa conexão permanece firme.

Abçs,




Texto de hoje: CéRebRo...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Nana Lopes disse...

Que lindo,doce e meigo!!
A imagem do coraçãozinho translucido é um ncanto.
PS: Amo essa musica.

Deh disse...

O coração e a calma geralmente andam descompassados...
Adoro essa música...
Gostei muito do seu cantinho beijos

Deh disse...

O coração e a calma geralmente andam descompassados...
Adoro essa música...
Gostei muito do seu cantinho beijos

Déborah disse...

O coração e a calma geralmente andam descompassados...
Adoro essa música...
Gostei muito do seu cantinho beijos

Deh disse...

meu blog:
solemescorpiao.wordpress.com
não consigo adicionar no campo...
desculpe os vários comentários, mas a intenção era boa..rs
bjos

Humana disse...

Olá Marco,
adorei o poema.Achei de uma grande beleza.Encantaste-me!
Acho o teu blog de extremo bom gosto a todos os niveis.
um beijinho

Edna Federico disse...

Bom, a música é soberba e se texto, perfeito!
Calma, calma, calma...é o que vivo repetindo a mim mesma.
Beijo

Cin disse...

Adorei...Lenine que se cuide rs
Bjos!

Verônica Martinelli disse...

Calma.....uma droga, para o bem ou para o mal
Lenine:"Solidão, o silêncio das estrelas, a ilusão
Eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos
Como um deus e amanheço mortal"

beijos:P

José Oliveira Cipriano disse...

Oi, Marco!
Coloquei,em meu blog, do lado direito, o endereço de seu blog. Espero que não se incomode por ter colocado sem pedir sua permissão. Marco sua poesia está belíssima! Meus aplausos! Você deveria escrever mais coisas suas! Você expressa sua visão de mundo de uma forma muito maneira!
Um grande abraço,

Oliveira