quarta-feira, 18 de julho de 2007

Luto

Hoje o país amanheceu triste!!!
.
.


Sigo o exemplo da Dri...
.
.

"Morremos um pouco cada vez que perdemos
um ente querido." (Publilius Syrius)


* Em homenagem aos familiares e vítimas do vôo 3054 da TAM
em 17 de julho de 2007.

12 comentários:

hashmalim disse...

Realmente triste o acidente...UM HORROR que ja estava sendo alertado sobre a segurança dos aeroportos do pais...E DRASTICO e não entendo como isso ainda possa acontecer!!!

Triste mesmo!

Ariel

Lili disse...

Fiquei horrorizada e muita sensibilizada com esse trágico acidente tbm dediquei um post aqueles q sofrem a perda dos q fizeram a viagem sem volta...
bjocas

Letíciah disse...

Realmente, triste.
Coisa que não dá pra aceitar assim numa boa, tanta gente inocente, tantas famílias tristes, e nada a ser feito agora..
Triste mesmo.
Beijo!

Girassol disse...

É impossível não sentir uma tristeza enorme nestas alturas.
Especialmente porque tragédias assim trazem-nos à memória as nossas próprias tragédias e relembram-nos que de facto "Morremos um pouco cada vez que perdemos um ente querido".

Cleopatra disse...

Foi horrivel....Mas temos que saber lidar com isso...Oro pelos entes queridos....Para que Deus traga conforto....

Bjim no coração....

Rosangela disse...

Faltam palavras...
Sobram: tristeza, indignação,revolta,choro...
beijos

Márcia Dutra disse...

O pior é que coisas desse tipo ainda acontecem. E por que? Por causa do descaso, da irresponsabilidade e da falta de respeito com o outro, levados ao último grau...Alguém tem que parar essas coisas...Ou melhor, alguns ou milhares têm que parar isso....É hora de dar um basta....Acho que, agora, as nossas orações e nossas melhores vibrações para os familiares são as nossas armas. Mas depois, o nosso VOTO pode resolver muito....Seremos mais conscientes. Com certeza...

Marco, um forte abraço.

Naeno disse...

Lindos dizeres, magnífico gesto. Também vou aderir.

Naeno

AMOR, A MORTE

Águas de emxurradas do amor, quem se arrisca,
A segurar garranchos e se assentar em lodo,
Rio sem futuro, que depois da chuva, a vista,
Não terá mais rumo, o que ver de novo.

Bate o vento trazendo a chuva que tudo traz,
Uma esperança, o amor, lembrança de se agarrar,
Uma vontade espessa, algo que nos faz,
Pensar eterno, desejar os restos que se assentarem.

Águas corredias, no sentido contrário,
O amor nos conduzindo pra de novo se largar,
E tomar o leito revertendo, o horário,
Quando mergulhamos loucos por lhe abraçar.

Uma cuspideira, sujeira do mar,
O amor assim quase sempre nos traz,
Já perdido o fôlego, a visão, o ar,
Dá-nos sua boca como um salva vida, e jaz.

R Lima disse...

É triste estar triste a esta tragédia anunciada...




Obrigado pelas palavras de retorno... e anuncio boas coisas lá no AveSSo.



[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Cin disse...

Não existe frase melhor pra traduzir esse momento...
Bjos Marco.

Eärwen Tulcakelumë disse...

Minhas preces foram direcionadas as pessoa que tiveram suas vidas cortadas no acidente.

Dia 20-07, dia do Amigo, queria ter vindo aqui no dia...mas deixo atrasado mesmo...

Pérolas incandescentes de carinho amigo.

Eärwen

eu que te amei disse...

Em silêncio, muitas vezes interrogo-me sobre o mistério da criação, mas a reflexão paira sempre sobre as razões da morte e do caminho que percorremos até ela. Perdi alguém que era muito especial para mim. Sinto-me vazia e não sei bem ainda como continuar. Procuro explicações, procuro na net pessoas que passam por momentos como estes, procuro palavras, procuro... nem sei bem o que procuro
http://reisesteves.blogspot.com/