segunda-feira, 21 de maio de 2007



A Velhice


Olha estas velhas árvores, mais belas
Do que as árvores moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas...


O homem, a fera e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres da fome e de fadigas:
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.


Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo. Envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,


Na glória de alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!


Olavo Bilac

8 comentários:

Erika disse...

No blog da Lila eu lí que quem envelhece tira todas as máscaras.
Eu disse lá mesmo que quero envelhecer então bem rápido, prá poder respirar sem máscara nenhuma.

Beijos

€aµ disse...

Há um ditado de um pensador, que não recordo qual, que diz que o grande problema da juventude é ter sido entregue aos jovens...
Acho que eis o grande problema da velhice... se sabe muito, mas se tem pouco tempo pra fazer do jeito certo. Chega a hora de ensinar, pena que poucos ouçam.
'Envelhecer rindo'... é um ideal.
Eu nunca temi envelhecer, acho que ao contrário eu sempre fui meio precoce (até hoje com essa cara de professora de velhos anos.. imagina quando eu chegar aos 33.. risos)... Mas acho um barato a maturidade que o tempo nos concede.
Envelheçamos rindo, aproveitando, tendo da vida o melhor que podemos ter...
O tempo é um senhor cruel, mas cada um vive o seu tempo. Que o vivamos alegremente, SEMPRE!

Anônimo disse...

Esse texto é tudo...!!!

Hj os bons poetas já não existem mais...

Bjos

Danizita

Cin disse...

Confesso que a idéia de envelhecer me assusta um pouco, porém muito me admira a sabedoria sobre a vida que as pessoas mais velhas adquirem.
Beijos querido!

Viviana disse...

O tempo faz tudo valer a pena e tudo se renova sempre e nós somos levados por esta força motriz e contínua. Mesmo assim, e ainda que assim seja, ah, eu quero hoje queimar os calendários! (risos)


Beijos

*Clara* disse...

Lindo demais...

Só é preciso saber tirar desse poema, o grande ensinamento que Bilac queria nos passar, o de viver incondicionalmente cada momento que se faz presente....

Beijinhos...

Isabel disse...

É lindo este poema!
Estou seriamente deliciada com este constante desfilar de poemas.
Parabéns.

Bjt

Jac C. disse...

Nossa, ainda não li nada... mas a música (Cássia Eller)... linda! Tb a conheço com Legião Urbana (muito 10)
Estamos indo de volta pra casa (esta frase é minha - só ela assim, isolada do contexto)
E o título? Velhice... ai, a estação do meu amado pai que já me abrigou tanto debaixo de suas sombras benditas...
Tudo muito significativo pra mim hj aqui.
Pois é, quem sabe ainda não possamos nos dar um abraço.
Estou apostando pra ver se e qual será o primeiro amigo/a virtual que vou conhecer... Deus permita!
Agora não dá vontade de sair ó... a música ainda não acabou...rsrs
Bjs.